quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

A balança pende sempre para um lado...

Há dois momentos no ano em que é inevitável fazer um balanço. Um, é no aniversário. É o balanço mais duro, o que nos faz medir toda uma vida que se fez e se vai fazendo de alegrias, frustrações, desilusões e esperanças. O outro, é precisamente no dia 31 de Dezembro. Olha-se para trás, ponderam-se os momentos mais marcantes, bons ou maus, e procuramos pesá-los e perceber para que lado pende a balança.

2008 não foi um ano mau. Posso dizer até, com toda a certeza, que foi o melhor ano dos últimos 3 ou 4, o que, por si só, já é muito positivo. Ora vejamos:

2008 +

- O primeiro sobrinho
- Um emprego (e que gosto muito!)
- As amizades solidificadas
- Alguns (bons) momentos de encanto
- Muitos risos, sorrisos, beijos e abraços
- Não contar tostões
- A Esperança a renovar-se continuamente


2008 -

- Sem viajar (nem um pézinho num avião...)
- Laços que se quebram irremediavelmente
- Algumas desilusões, lágrimas e tristezas
- As tristezas alheias, que também são nossas

Acredito que muita coisa irá acontecer em 2009 (e não falo da Palestina ou do Cristiano Ronaldo ser eleito o melhor jogador do mundo). Tenho a certeza de que este será um ano de mudança, porque há coisas que não poderão ser mais adiadas. É preciso apenas alguma paciência e coragem. É só respirar fundo e dar as boas vindas ao novo ano!


Feliz 2009!

«Receita de ano novo»

Para você ganhar belíssimo Ano Novo cor de arco-íris, ou da cor da sua paz, Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido (mal vivido ou talvez sem sentido), para você ganhar um ano não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, mas novo nas sementinhas do vir-a-ser, novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha, você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, não precisa expedir nem receber mensagens (planta recebe mensagens? Passa telegramas?). Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta. Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas nem parvamente acreditar que por decreto da esperança a partir de Janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade, recompensa, justiça entre os homens e as nações, liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver. Para ganhar um ano-novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.


Carlos Drummond de Andrade

*Recebido por e-mail. Obrigada!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

When you run out of words

At the end of the day, there are some things you just can't help but talk about. Some things we just don't want to hear, and some things we say because we can't be silent any longer. Some things are more than what you say. They're what you do. Some things you say because you have no other choice. Some things you keep to yourself. And not too often, but every now and then, some things simply speak for themselves.

Grey's Anatomy

A nu

Se este blog fosse anónimo, se ninguém me conhecesse a cara e o espírito, escreveria aqui tudo o que sinto. O que me vai na cabeça, cada pensamento, sensação, cada emoção. Se quem me lê não soubesse que sou eu, contaria cada palavra, as que disse, as que foram ditas e as que ficaram por dizer. Mostraria todas as lágrimas e todos os sorrisos, até os que se escondem e só podem ser descobertos de vez em quando. Iria desenhar com letras as alegrias que já vivi e as mágoas que carrego comigo. Se eu não tivesse um nome para além deste, confessaria os meus arrependimentos, tudo aquilo de que me envergonho e revelaria todas as palavras que não digo senão para mim, libertando-me do peso de cada uma delas. Mas porque tenho um nome e uma cara para além dos traços toscos desta boneca, continuarei a guardar para mim, muito do que me vai cá dentro. Um dia desembrulho a última matryoshka...

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

O melhor sms natalício

«Blá, blá, blá, feliz Natal!»

Sim, eu não envio sms de natal em barda. Em compensação envio sms personalizados para algumas pessoas. Manias.

sábado, 20 de dezembro de 2008

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

«You Picked Me»

Já a coloquei no iPod aí ao lado. Mas gosto cada vez mais. Fica o vídeo e a letra.




One, two, three
Counting out the signs we see
The tall buildings
Fading in the distance
Only dots on a map
Four, five, six
The two of us a perfect fit
You're all mine, all mine

And all I can say
Is you blow me away

Like an apple on a tree
Hiding out behind the leaves
I was difficult to reach
But you picked me
Like a shell upon a beach
Just another pretty piece
I was difficult to see
But you picked me
Yeah you picked me

So softly
Rain against the windows
And the strong coffee
Warming up my fingers
In this fisherman's house
You got me
Searched the sand
And climbed the tree
And brought me back down

And all I can say
Is you blow me away

Like an apple on a tree
Hiding out behind the leaves
I was difficult to reach
But you picked me
Like a shell upon a beach
Just another pretty piece
I was difficult to see
But you picked me
Yeah you picked me

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

É Natal!

Estamos em plena época natalícia. Multiplicam-se as luzes pela cidade. A Baixa e o Chiado fazem as minhas delícias e passear por esses lados nestes dias, bem agasalhada e com meia dúzia de castanhas na mão sabem-me pela vida! Infelizmente (ou não), pertenço a uma pequena fatia da população que prefere o comércio tradicional à bagunça dos grandes centros comerciais. Ainda no último fim-de-semana, dei por mim numa fila de meia hora que ia directamente para o estacionamento do Fórum Montijo. Eu entrei na fila por engano... É típico: 30 minutos na sala de espera de um consultório médico e é um valha-me-deus! Desata tudo a mandar vir com a recepcionista. Numa repartição de finanças ou na segurança social, nem se fala... Mas percorrer 100 metros a 0,01 Km/h para ir gastar o subsídio em meias para o tio e chocolates para a tia, já é outra conversa! E é por estas e por outras que de ano para ano se repetem as frases "O Natal é sinónimo de consumismo" ou "Isto é tudo uma grande hipocrisia". De facto, há alguma razão nestas afirmações. Contudo, ainda assim, gosto de acreditar que esta é uma época em que celebramos a vida, a família e os amigos! Já tenho dito que sinto o Natal assim, talvez porque tive natais felizes na infância. E com o avançar da idade, a magia deu lugar à oportunidade de estar com as pessoas de quem gosto. E este ano, há mais um motivo para sorrir: chama-se G. e devolve-nos a vontade de fazer da consoada e do dia 25 um dia muito especial!

Gosto da árvore, das luzes, das velas acesas, do calor cá dentro a contrastar com o frio lá fora. Gosto de rabanadas e dos presentes a enfeitar a árvore que o meu gato teima em comer. Gosto de ver a reacção de cada um ao abrir cada prenda. Gosto de postais de Natal e gosto de perder o dia em conversas no sofá.

Se já comprei alguma prenda? Nem uma... Mas não se preocupem. Todos encontrarão um embrulho no sapatinho!

Feliz Natal!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

How can you mend a broken heart?

Hoje, depois de muito pensar em como seria bom ter uma pedra no lugar do coração, deixaram-me um presente em cima da secretária. Abri-o. Era um coração em pano, tosco, artesanal e que me encheu o peito. Há alguém que não sabendo, soube que preciso de um novo, menos moído e mais maleável e que resista aos golpes de sempre. Ainda sem remendos, quase ingénuo, meti-o no bolso e trouxe-o comigo o resto do dia. Este, nunca darei a ninguém. Ao que trago no peito, resta-me dizer-lhe baixinho: «This too shall pass».

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Eu sabia...




Your Deadly Sins



Gluttony: 40%

Envy: 20%

Greed: 20%

Sloth: 20%

Lust: 0%

Pride: 0%

Wrath: 0%



Chance You'll Go to Hell: 14%


You'll die from a diabetic coma.


A gula é o meu pecado!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Amanhacer

Esta manhã, ao chegar ao carro encontrei umas florzinhas presas no pára-brisas.




Obrigada!
Tornaste o meu dia muito mais simpático!

Desafios, o segundo

Ora então vamos lá a mais um desafio...

Mais uma vez passado pelo Rui, desta vez consiste em dizermos 8 sonhos que temos. Acho que tenho muito mais do que isso, mas ok... Cá vão, sem ordem de preferência:

1. Viajar
2. Ganhar 3 vezes o meu ordenado e trabalhar num horário... vá, das 12h às 17h
3. Ter uma casa com piscina (isto é um objectivo de vida!)
4. Viajar... Ah, já disse? É viajar mais!
5. O meu paizinho aqui ao pé de mim
6. Love, love, love
7. As minhas amiguinhas sempre felizes e contentes
8. Saúde, muita e da boa!!!

Podia acrescentar mais uns quantos, mas são só 8 que posso revelar ;)

Segue o desafio para os suspeitos do costume!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Desafio

Eis que recebi o meu primeiro desafio neste blog. Foi-me dado pelo Rui Mendes, que ainda não está aqui ao lado, mas um dia estará. O desafio consiste em escolhermos um artista ou banda e respondermos às seguintes questões, com base em titulos de canções suas. A minha escolha, inevitavelmente, recai sobre Ben Harper!


1) És homem ou mulher? Suzie Blue

2) Descreve-te: Not Fire Not Ice

3) O que as pessoas acham de ti? Oppression

4) Como descreves o teu último relacionamento: The Three Of Us

5) Descreve o estado actual da tua relação: Welcome To The Cruel World

6) Onde querias estar agora? In the Colors

7) O que pensas a respeito do amor? Pleasure And Pain

8) Como é a tua vida? Gold to Me

9) O que pedirias se pudesses ter só um desejo? Everything

10) Escreve uma frase sábia: Fight for Your Mind


Segue o desafio para:

Miss Detective

Yang

Poisoned Apple

Buttafly

PrimaNocte

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Elogios

Hoje fizeram-me um dos elogios mais simpáticos de sempre. Estava eu, absorta nos meus pensamentos, e alguém me diz:

Estás tão bonita! Tens um ar romântico. Parece uma cena saída de um filme francês.


Je voudrais!

domingo, 9 de novembro de 2008

Este fim-de-semana andei por estes lados. Muita lareira, conversa, um bom vinho. Ideal para recuperar energias e arejar as ideias.

Como diz a voz do povo, não há vida como a do campo!

P.S. É que era só mesmo mais um diazinho... A semana seria muito mais produtiva!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

3-4-3

Cada vez mais, acho que o fim-de-semana deveria ter três dias. E nisto, tenho a certeza de que não estou sozinha. Dizia-me um colega de trabalho, hoje logo pela fresquinha:

- Sou apologista da táctica do 3-4-3.- Da quê?
- 3-4-3. Três dias de fim-de-semana, quatro de trabalho e voltamos aos três dos fim-de-semana!

Não podia concordar mais. Vejamos, por exemplo, este meu fim-de-semana:

A noite de Sexta foi para esquecer. Eu bem tentei, mas parecia-me mais com um zombie do Michael Jackson do que com uma chica na flôr da idade! O que, tendo em conta a última Sexta-feira ter sido Dia das Bruxas, até não estive nada mal!

O Sábado foi passado entre o sofá e a cama e o percurso entre um e outro assemelhou-se a uma corrida de fundo... mas em câmara lenta! Não fosse a minha amiga V. ter vindo fazer uma visita e o meu gato teria sido a minha única companhia all day long...

O Domingo não foi mais fácil. Aliás, os domingos têm a agravante de ser o dia mais estranho da semana, porque embora ainda nos restem umas horas de descanso, fazemos questão de as preencher com a amargura de um «amanhã já é Segunda!». Adiante: já a sentir-me um eremita em meditação na montanha, arranquei-me da cama, do sofá e da casinha quentinha e lá fui eu tomar um café à rua. E isto, claro, sempre a pensar que tinha de passar no centro comercial para levantar a roupa que tinha deixado na lavandaria há 15 dias, mais procurar o casaco e as botas que me vão dar tanto jeito este Inverno. E, acreditem ou não, não estou com a mínima pachorra para bagunças de centros comerciais!

E no meio de tanta lanzeira, escaparam-me dois jantares, uma ida ao cinema, uma luta de almofadas em plena rua e um saudável cumbíbio com os amigos. E aqui voltamos ao ponto inicial: mais um diazinho e já refeita do fadiga da semana, tinha tido oportunidade de conhecer mais do que a manta, a tv e a almofada durante estes dois dias!

Por isso, e porque durante os dias de folga preciso de descansar mas também de me divertir, acho que alguém deveria fazer uma petição pelo 3-4-3 e levá-la à AR para ser votada! Porque se aos 18 dois dias chegam... Aos 28 já não são suficientes. Como será que vou chegar aos 38?

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Alguém me explica o fenómeno do nariz entupido?

Estou que nem posso. Dores de garganta, nariz vermelho, assado e alterando entre o entupido e o desentupido. Cá vai mais um esprirro e mais uma assoadela. Sabem o que me apetecia? Um sofá, uma manta, um chá e um vicks vapoSpray. Ah, e um hidratante nasal também!

Aaatttccchhhiiiiiiiiiiiimmmmmm!

sábado, 18 de outubro de 2008

A expressão da Liberdade

Diziam-me há pouco, que um homem verdadeiramente livre é aquele que não tem medo do ridículo. Eu acrescento: um homem verdadeiramente livre é aquele que pode escolher fazê-lo.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

“Levanta-te e Actua”

Hoje fala-se de Pobreza. Com alguma regularidade, vão surgindo na comunicação social os números, que na sua grandeza jamais conseguem transmitir a crueldade que a pobreza encerra. Em 2000, foram definidos oito objectivos de desenvolvimento a atingir até 2015 por 189 países, em prol de toda a Humanidade. São conhecidos como os Objectivos do Milénio e por ser um flagelo que afecta milhões, a erradicação da pobreza está entre eles.

As estatísticas são assustadoras e desengane-se quem pensa que apenas se referem a países sub-desenvolvidos. Basta olhar com atenção para as ruas de Lisboa, ou Porto, ou qualquer outra cidade dos chamados "países desenvolvidos". Está lá... mas é mais fácil não ver. Esperamos, cegos no nosso conforto, que o que não vemos não exista.

Porque nunca é demais lembrar que há quem (sobre)viva em condições desumanas, hoje comemora-se o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza. Um pouco por todo o lado se fazem acções que pretendem chamar a atenção para o problema. Várias organizações, em conjunto com muitas empresas e instituições, unem-se neste dia para que passemos a olhar a pobreza como uma questão que a todos diz respeito. De ano para ano, tem vindo a aumentar a participação da sociedade civil nesta comemoração. Um dia não são dias, por isso, façamos este contar!

Para mais informações, sobre a pobreza e sobre o combate ao flagelo, não deixem de visitar a Oikos, Pobreza Zero e Levanta-te e Actua!

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Dar, arrendar e desesperar


Há câmaras e câmaras. E a de Lisboa é muitíssimo generosa. Por 18€ por mês, oferece aos seus munícipes casas nas melhores zonas da cidade, com direito a jacuzzi, garagem e outros detalhes simpáticos! Agora, só não entendo o critério. Não me parece que viver numa encosta da cidade, dê direito a tamanha regalia. É certo, não podiam lá ficar: mais dia, menos dia, as casas vinham mesmo por ali abaixo. Mas por 18€???

Dada a perspectiva da coisa, talvez os senhores autarcas possam considerar ser tão filantrópicos com a minha pessoa. Ora vejamos: sou lisboeta, tenho as minhas contribuições em dia (excepto uma pequena multa da EMEL) e moro demasiado longe do meu trabalho. Na minha zona, já ocorrem assaltos há alguns anitos e sendo uma cidadã exemplar, acho que faria todo o sentido fazerem-me uma proposta de arrendamento do mesmo nível. Vá, ok. Por 20€ também aceito. Já agora, posso escolher a zona? Gosto muito da Av. de Roma e da Av. dos EUA, mas será que seria pedir demais se me deixassem ir para o Chiado? E a Praça das Flores? Não tenho culpa de ter tão bom gosto, eu sei... É claro que se não tiverem um pequeno T1 (reparem como até não peço muito) para mim nessa zona, poderá ser, obviamente, na Av. de Roma, ali para o lado da Guerra Junqueiro, ok?

Agora a sério, nada contra quem precisa de uma casa para viver. Mas dada a situação em que o país e os portugueses vivem, é uma afronta de muito mau gosto. É assim que se gastam os dinheiros públicos e se afasta as pessoas do debate... o que na verdade até é conveniente!

Só é uma pena que estas "ajudas" não sejam também dirigidas aos jovens. Falo por mim, que para sair de casa da mamã, só tenho 4 opções:

1. Acumular empregos. Se 1 já é difícil de arranjar, imaginem 2!

2. Casar-me. O Amor que se lixe, se as escovas no mesmo copo até dão jeito!

3. Paitrocínio. E o meu não vai nisso...

4. Partir rumo à Holanda, onde os Okupas são legais!

Ah, sim. Existe a Porta 65! Se me encontrarem um T1 em Lisboa com uma renda máxima de 500€, avisem-me, ok?

domingo, 5 de outubro de 2008

Did you know?

O primeiro vídeo surgiu em 2006 pelas mãos Karl Fish, professor americano, para apresentar numa conferência numa universidade do Colorado. Rapidamente, esta apresentação foi difundida pela Internet, comprovando alguns dos factos nela contidos. Desde então, o vídeo foi já actualizado por diversas vezes, não deixando nunca de surpreender pela grandeza dos números e informações esmagadoras que deixa a nú.

Eu ainda sou do tempo em que os encontros se marcavam antecipadamente e em que os horários tinham, por isso, de ser cumpridos. Eu sou do tempo em que tinha de visitar bibliotecas, museus e especialistas de várias áreas, para fazer um trabalho para escola. Ainda sou do tempo em que se gravavam músicas em cassetes e em que a única forma de fazer repeat era passando a cassete para trás ou levantando a agulha do gira-discos para a faixa anterior. E, no entanto, este tempo foi ontem. Foi há 10, 15 anos e estou certa de que são muitos os que ainda se lembrarão disso.


Dá que pensar... Para onde vamos?

Shift Happens!

domingo, 28 de setembro de 2008

"Olá"

O inicio é importante. É fundamental. É quando tudo está em aberto e todas as hipóteses são válidas. Por isso, é essencial que a primeira abordagem seja bem feita, nem demasiado pobre, nem demasiado arrojada. E isto é verdade, quer se trate de um primeiro encontro na bilheteira de um cinema, ou de um contacto fortuito via internet.

É do conhecimento geral que encontar do outro lado do monitor o Clive Owen tem as mesmas probabilidades que ganhar o euromilhões, daí que todas as tentativas de chegar a um cafézinho com alguém que não se conhece, estejam condenadas à partida. E isto é ainda mais verdade quando, por exemplo, abrimos a caixa de mensagens do hi5 e o que lá encontramos são mensagens de estranhos cujo o assunto é "Olá". A este propósito, transcrevo um parágrafo de um livro que me foi oferecido pelo P. e em que a autora aborda precisamente esta questão.

Um playboy famoso avisa que nunca se deve enviar um e-mail em que o assunto diga «Olá». Ele literalmente estremeceu ao dizê-lo, enquanto os dedos faziam o gesto de atingir o botão de delete do teclado. Um tal título coloca-o de imediato de sobreaviso, já que indica que o conteúdo do e-mail será implorativo, e que tentará invariavelmente arrancar dele um encontro ou um título de namorada. *

Compreendo que não seja fácil arranjar um bom título. Mas se a ideia é apelar à curiosidade do destinatário, talvez seja melhor usar a criatividade e escusar-se a olá e desculpa a intromissão, mas por acaso não nos conhecemos de algum lado?. Não, esse não é de todo um bom princípio. O máximo que poderá acontecer é ter uma resposta do género sim, conhecemos-nos na festa de aniversário do joão. A tua namorada estava sentada ao meu lado. O "Olá" equivale a um convite ranhoso para um encontro e a menos que juntamente com o "Olá" venha um Magnum de amêndoas, nada feito!

Tenho a certeza que já todos nós recebemos tais mensagens. E talvez alguns até já as tenham enviado. Para esses, um conselhozinho: Se quiserem convencer alguém, ponham os genes da criatividade a funcionar. Caso não existam, aconselhem-se com alguém que os tenha e... Boa Sorte!

* Guia para Meninas Solteiras, Imogen Lloyd Webber, Ed. Nelson de Matos

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Tom Sawyer

Para quem quer apenas recordar ou porque até calha bem reaprender. Vamos lá! A plenos pulmões!



Vês passar o barco
rumando p’ró o sul
Brincando na proa
gostavas de estar

Voa lá no alto
por cima de ti
um grande falcão
és o rei és feliz

E quando tu
vês o Mississipi
tu saltas pela ponte
e voas com a mente

Nuvens de tormentas
Estão sobre ti
Corre agora corre
e te esconderás
entre aquelas plantas
ou te molharás

E sonharás
que és um pirata
tu... sobre uma fragata
tu... sempre à frente de um bom grupo
de raparigas e rapazes

Tu andas sempre descalço, Tom Sawyer
junto ao rio a passear, Tom Sawyer
mil amigos deixarás, aqui e além
descobrir o mundo, viver aventuras

Um dos meus preferidos!

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Assalto


Hoje uma repartição de finanças foi assaltada por dois homens armados.

Já diz o ditado:

Ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão!

domingo, 14 de setembro de 2008

...


As we grow up, we learn that even the one person that wasn't supposed to ever let us down, probably will. You'll have your heart broken and you'll break others' hearts. You'll fight with your best friend or maybe even fall in love with them, and you'll cry because time is flying by. So take too many pictures, laugh too much, forgive freely, and love like you've never been hurt. Life comes with no guarantees, no time outs, no second chances. you just have to live life to the fullest, tell someone what they mean to you and tell someone off, speak out, dance in the pouring rain, hold someone's hand, comfort a friend, fall asleep watching the sun come up, stay up late, be a flirt, and smile until your face hurts. Don't be afraid to take chances or fall in love and most of all, live in the moment...

Emprestado daqui.


J. Obrigada pela janta!


;)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Avaliação sumativa


Na sequência do post anterior, aqui vai um resumo do que foi a minha avaliação.

Avaliação efectuada em dois momentos: Primeiro tirar medidas, medir alguns índices, conversa sobre alimentação, objectivos, blá blá blá. Resultados:

Altura - 1,57 cm. Roubou-me dois centimetros o sacana!

Peso - 48,5 kg. 1,5 kg adquiridos nas férias. Urgente perdê-los!
IMC - 19??? Este já não me lembro bem.

Massa gorda - 13,8%. Deste resultado gostei!

Condição física geral - 5 em 10. Dado meu historial desportivo e sedentarismo, não está mau...
Alimentação: Classificou-a de má. Eu que até nem bebo refrigerantes em casa, não como maioneses e afins com frequência e batatas fritas só de vez em quando e ele classifica-me como tendo uma má alimentação. Deve ter sido por causa da parte em que eu disse que como alguns chocolates e poucos legumes...

O segundo momento da avaliação física foi só ontem. Entrega de um relatório, conversa sobre alimentação, objectivos, blá blá blá e possibilidade de ter um PT pela módica quantia de 199,00€/ mês. Ora, com esse dinheiro, ao fim de apenas poucos meses, eu já fazia uma viagem bem jeitosa. O Tio Holmes perdeu toda e qualquer noção do razoável... Deve ser da idade. Em seguida, uma visita a várias máquinas com o PT, sempre com as suas indicações Tem que sentir a minha mão, Peito para fora e quando me disse Vamos agora trabalhar os glúteos e eu repondi Boa!, diz-me Eu bem me parecia que ia gostar desta parte. Que raio quer ele dizer com isto??? Que os meus glúteos estão a ceder fortemente à gravidade? Já tiveram melhores dias, mas não é caso para tanto, ok?

Impressões: Continuo a não gostar do ambiente de ginásio. Depois do PT insistir várias vezes que umas idas ao Cardio-fitness são o ideal para mim, tive de lhe dizer claramente: Detesto esforçar o corpinho e não gosto deste ambiente. Ainda assim, ele continuou a insistir, enquanto alternava entre o "tu" e o "você" no tratamento que me dava. Mas comprometi-me a lá ir umas duas vezes por semana, compromisso esse que sei que não vou cumprir. Eu sei, sou a pior!

Quanto aos PT propriamente ditos, tive alguma sorte. Haviam lá uns verdadeiramente assustadores. Este até que era engraçadote, não fosse depilar as pernas!!! É que um atleta de competição eu até posso entender, agora ali? What's the point? Homem que é homem tem pêlo na perna e lamento se o meu lado retrógrado vem ao de cima nesta questão... Pêlos à parte, era simpático. O que não justifica os tais 200€/mês! Ah, e despediu-se de mim com um Beijinhos e até amanhã! Acho que não vai ter sorte. Lá para 5ª Feira penso nisso...

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Saúde ou o culto da vaidade

Os ginásios são o contrário do que deviam ser. Uma inscrição num health club deveria antes de mais fazer jus a isso mesmo: à saúde. Uma mensalidade num local deste tipo vale a promessa de saúde, de bem-estar físico e de um estado emocional equivalente. Ora, isto é o que deveria ser um ginásio, mas não é!

Inscrevi-me numa conhecida cadeia de ginásios em Junho. Não o fiz à espera de milagres de última hora, mas porque surgiu a oportunidade. Todos os funcionários da empresa onde trabalho beneficiam de um apelativo desconto e condições para frequentar a casa do tio Holmes. Embora seja de uma preguiça que até a mim me dá nos nervos, achei que a contribuição mensal a que fico sujeita, seria por si só um incentivo para pôr a musculatura a mexer. E desde a primeira semana que as minhas impressões sobre a fauna e flora deste local se confirmaram.

Todos os ginásio são locais de vaidade. São as vanity fair do mundo moderno e este não é excepção. E começa logo na recepção: há a ideia de que frequentar este local, é por si só, sintomático de um determinado status: classe média-alta, com uma vida profissional bem sucedida e agitadíssima mas que ainda assim não descura a sua imagem e a sua mente. Até aqui nada de muito mau. Assustador mesmo é quando atravessamos a portinhola automática e começamos a esbarrar com seres altamente estranhos. Os balneários são os locais onde se deixam a nu as vergonhas e muito mais que isso. Não sendo púdica, não me agrada particularmente a ideia de exibir uma(s) perspectiva(s) de mim a desconhecidas. A exibição da nudez nestes locais é directamente proporcional a um "vejam como me sinto bem comigo mesma", mesmo quando se tem as maminhas a bater no umbigo...

Mas o que fere mesmo a vista são os estúdios onde decorrem as aulas. Entre homens melhor depilados que eu, com calções mais curtos que os meus, com expressões de sofrimento estranhas (não, eu não preciso saber qual é a careta que fazem quando estão na intimidade do trono), a meninas "à conversa" com os PT, vale tudo pela exibição do porte atlético. Quer se tenha, ou não.

Pergunto eu: Onde está o prazer de praticar desporto pelo desporto? Não sou exemplo, na medida em que não sou dada a grandes proezas desportivas, mas confesso que o microclima "ginásico" me inibe ainda mais de o frequentar. Salvam-se as aulas a que chamam "holísticas", em que este ambiente se atenua fortemente.

Questões ambientais à parte, os senhores que trabalham para o tio Holmes têm um óptimo sentido de humor. Então não é que me cobraram no mês passado mais 30€ do que deviam?A justificação veio apenas quando os questionei sobre o assunto, porque gastar uma chamada telefónica para mim era coisa para dar muito trabalho. Ora que me retiraram esse valor porque "de 5 em 5 meses cobramos 30€ para fazer uma avaliação física". Vamos por partes:

1. Isso está escrito onde? Deve ser nas letrinhas microscópicas do contrato...

2. Onde estava o interesse dos senhores em me fazerem uma avaliação física quando me inscrevi no ginásio? É que nessa altura falei pessoalmente com uma pessoa a quem solicitei essa mesma avaliação. Ficou de me ligar para marcar o dia e... voilá! Nunca ligou!

3. E se me retiraram os 30€ para essa avaliação, por que motivo não me telefonaram a marcar a mesma e tive de ser eu a questioná-los sobre o assunto?

4. E já agora, se eu trouxer umas barras e uns pesos para casa, só porque de 5 em 5 meses tenho esse hábito, será que me deixam?*

Amanhã lá vou eu ser avaliada. Entre medirem-me, pesarem-me e calcularem o meu IMC, nunca na vida me tinha acontecido pagar por uma avaliação física num ginásio. É bom que me consigam calcular o número de gramas que têm de ser redistribuídas uniformemente pelo corpinho e me apresentem uma fórmula ínequívoca para eu ficar, sem esforço e sem me transformar num animal de ginásio, com a forma física da Gisele Bundchen! Que por 30€ não posso exigir menos!

*Ideia gentilmente cedida pelo P.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Facto cientifíco


É científico, tão certo como o Big Bang ou os electrões num átomo: de cada vez que vestimos uma camisola branca conseguimos fazer-lhe uma nódoa!

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

As férias da Matryoshka

Chegaram ao fim as férias.

Rumei ao Sul e por lá fiquei uns dias. Muita piscina, menos praia, poucas saídas e um bom descanso. E após uns dias pacíficos, abalei para a terra do Flamenco, caliente como só ela, pronta para algumas emoções fortes.

O P. escolheu muito mal a companhia. Vá, escolheu só um bocadinho mal, que eu sou pessoa com quem se passam umas férias de sonho, ok? Mas tenho de admitir que descer em queda livre de uma torre de 68 metros, não é coisa para mim! Mas esforcei-me: só deixei de fora as duas "diversões" de nível fuerte mais agressivas. Com medo, de coração a bater e com as palmas da mão a suar, lá fui eu da Amazónia ao Faroeste, superando cada obstáculo. Pelo meio, um touro mecânico, um espectáculo para crianças, fotografias tipo passe com espaço para dois, barcos de piratas, tiros e muita, muita água! Confesso, aliás, que aquilo que mais gostei foi mesmo dos banhos que muito nos refrescaram! Na ilha da magia também há carrosseis dos antigos, daqueles bem bonitos que já só vejo nos filmes. Há sombras que valem ouro, crocodilos gigantes que nos dão dentadas na cabeça, há uma cerveja para refrescar e bancos para descansar os pés já amassados. Há muitas crianças, muitos risos e boa disposição. E há adrenalina q. b. para todos os gostos!

Na cidade real, Sevilha, também se esteve muito bem. Algum calor, é certo, mas nada que nos obrigasse a um descanso forçado (vá… mais ou menos…). A maior catedral gótica da Europa merece uma visita, assim como as ruas do Barrio de Santa Cruz. O espaço que albergou a Expo ’92, como se sabe, está quase todo dotado ao abandono (benditos os que idealizaram o Parque das Nações!), mas em contrapartida os edifícios construídos para a Exposição Ibero-Americana de 1929, são fantásticos e estão muito bem conservados! O Tablao fica para a próxima e com ares sevilhanos só mesmo o leque que trouxe de lá. E reafirmo a minha convicção: não há espanhóis giros!

Em suma, como o jet leg mi mata, optei por viajar para um sítio bem mais pertinho (ah ah ah). E claro, na volta toca a encher o depósito, que atravessando a fronteira pagam-se uns bons cêtimos a mais pelo precioso liquído!

Um vislumbre das férias, só para vocês!










Foram umas férias das 0h00 às 24h00...*


*Private joke ;)

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Enfim... as férias!

Enfim... chegaram as férias! Na verdade já começaram há uns dias, mas é sempre necessário "arrumar a casa" antes de partir para o merecido descanso. Eu pelo menos, aproveitei para tratar de algumas pendências, daquelas chatas que por nos roubarem algum tempo não conseguimos resolver no dia-a-dia. Não estou no México, nem no Brasil, nem tampouco numa qualquer praia algures no país de nuetros hermanos. Ainda assim, sabe-me à vida acordar sem o despertador!

Ainda nem fui à praia. A piscina cá de casa tem feito as minhas maravilhas: disponível a toda a hora, sem levar com areia e com espaço suficiente sem ter de pedir licença ao vizinho para me virar! É certo que o senhor das bolas de berlim não passa por cá, mas eu aguento!

Agora se me permitem vou dar um mergulhinho e esticar-me um bocadinho ao sol! Podem ficar com uma ideia, vendo os meus pézinhos a fazer cháp-cháp na aguínha... ;)



P.S. Este post foi só para fazer umas invejas... eheheheh!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

E eu a pensar que estava no ciclo...




You Have Your PhD in Men



You understand men almost better than anyone.

You accept that guys are very different, and you read signals well.

Work what you know about men, and your relationships will be blissful.



Devo ter andando desatenta nas aulas...

domingo, 27 de julho de 2008

Aprendizagens nocturnas

00:43, Bairro Alto, Lisboa

É do conhecimento geral, que as grandes descobertas da vida se fazem nos momentos de lazer. Entre duas caipirinhas (bem puxadas!!!), gargalhadas e apostas (fica para outro post), o G. coloca-me a seguinte questão:

G. - Explica-me lá como é que é ter orgasmos múltiplos. Eu nunca saberei...

Eu - Ora, como é que é... É bom! Primeiro vem um, depois o outro e depois já nem acreditas que é possível mais e... mais outro.

G. - E o que dizes entre o 4º e o 5º?

Silêncio. Perguntava-me eu se haveria algum género de protocolo que se aplique nestas situações e que desconheça... Entretanto, toda a gente em suspense à espera da resposta.

Eu - O que é que se diz? Sei lá...!

G. - FODE-ME CABRÃO!!!

Eu - ...

Moral da história: Quando quiseres enganar um homem, escusas de esforçar a caixa torácica e pôr em risco as cordas vocais. Basta-te uma frase curta e grossa. O sucesso é garantido!

terça-feira, 22 de julho de 2008

To Do

Eu queria... Eu juro que queria escrever mais aqui. Enquanto vou no carro, na rua, enquanto fumo um cigarro à janela a ver o mar ou mesmo durante o banho, surgem-me centenas de ideias para escrever. Infelizmente, o tempo não abunda e as ideias ficam-se por isso mesmo. Quando resolvo vir escrever, evaporam-se todos e quaisquer resquícios daquilo que tinha pensado escrever. É mais ou menos como quando tenho um sonho que me persegue durante todo o dia e já à noitinha passo por uma livraria, abro um dicionário de sonhos e... slupt! Lá se foi a lembrança!

Fica por isso aqui a minha TWL (To Write List) para os próximos tempos

- Tropa de Elite, o filme.
- Reencontros inesperados (e quiçá outros desejados).
- O outro lado da vida, que é também o meu.

E isto já me dá escrita para muito e muito tempo. É que entretanto, também tenho uma TDL (To Do List):

- Marcar a revisão do carro.
- Ligar para a TMN e saber porque não consigo aceder à Internet.
- Ir ao ginásio.
- Limpar o pó (bolas, como odeio!).
- Limpar caixa de sms do telemóvel.
- Limpar caixa de mensagens do e-mail (já lá vão 2 anos sem limpeza...).

E com isto já tenho bastante que fazer! Como podem ver, o tempo não estica e o meu menos ainda. É que para além destes afazeres todos, sou pessoa para precisar de dormir umas boas horas... Venham as férias!!!

terça-feira, 15 de julho de 2008

Onde será que está o cérebro desta senhora?



Apesar de tudo, eu também sou da opinião de que os EUA deveriam inspirar-se na educação da África do Sul e Iraque... Talvez não faltassem mapas!

terça-feira, 17 de junho de 2008

Simpatias

Até poderia estar a falar daquelas simpatias brasileiras. Aqueles "truques" que se usam para conquistar alguém, para fazer alguém sentir a nossa falta. Mas embora pareça isso, juro, juro que não foi! Eis o que aconteceu:

Ontem fui tomar um café com a minha amiga R. Seria um café normalzinho, não fosse a simpatia desmesurada do dono do café. É certo que dá gosto quando somos atendidos com um sorriso e uma palavrinha simpática, mas o senhor passou-se! O dito café, situado numa zona dos arredores de Lisboa, recebeu algumas vezes a nossa ilustre visita. Era daqueles a que começámos a ir quando saiu a malfadada lei do tabaco e o nosso gosto pela poluição nos impelia a procurar um local onde fosse possível fumar. Entretanto, e graças a todos os santinhos, lá começaram a abrir novos espaços dedicados a fumadores e passámos a frequentar outros locais. Ontem, por razões de ordem logística desses outros locais, tivemos de regressar à base, àquele que primeiro nos acolheu quando todos os outros nos escorraçaram. E não é que o senhor sentiu saudades nossas? É verdade. Passou de um "Boa noite, o que vão querer?" para um "Há muito que não vinham cá! Então e por onde têm andado? Vai uma bebidinha? E já agora, onde moram? Já sentia a vossa falta! Tomem lá um licor beirão para se animarem! E na Quinta-feira, onde vão ver o jogo? Venham cá, vamos ter moelas, caracóis, cervejinha e outros petiscos. Ah, e eu sou o Tó Zé!" Eu a R. olhávamos uma para a outra a pensar "O que é isto?", "O que se passa???". Na verdade, o Tó Zé ainda sentiu mais saudades da R. Tenho para mim que mais uma semanita e o homem fechava o café com tamanha tristeza que lhe cabia no coração!


Eu gosto muito de gente simpática, mas isto foi uma coisa desmedida. O que lhe terá passado pela cabeça? Será que nos confundiu com alguém? Enfim... é um mistério. Contudo, parece-me que não o vamos desvendar.


E se um desconhecido lhe oferecer um licor beirão? Isso é... estranhinho?

quinta-feira, 12 de junho de 2008

quarta-feira, 4 de junho de 2008


Não é porque o Verão está à porta (já não chegaria a tempo), mas iniciei ontem os meus treinos no ginásio. Fiz a minha primeira aula de Yoga... E estou toda partidinha!

Resta agora não perder a motivação pelo caminho. Quem me faz companhia?

quinta-feira, 22 de maio de 2008

A saída da Boneca

A boneca foi sair ontem. Normalmente, um café ou uma visita ao Bairro Alto são suficientes para satisfazer os meus desejos noctívagos, mas ontem excedi-me e lá fui eu desfrutar da noite lisboeta. Primeira paragem: bebidas boas, mas fumar é na rua. E assim que se termina o cigarrinho, toca a voltar para dentro que a senhora que está à porta não perdoa! Seguimos para essa lendária discoteca que é o Plateu. Já se sabe, musica dos anos 80, cantorias e risotas é o que se espera. O que não esperávamos era estar 50 minutos numa fila para entrar. Ok, ladies Night, véspera de feriado, mas convenhamos... A minha paciência diminuiu drasticamente para metade. Lá dentro... bom, digamos que era uma massa humana bem compacta. Todos assim bem chegadinhos, aconchegados uns aos outros, sentindo e partilhando os fluídos corporais como se numa piscina nos encontrássemos. Pedir uma bebida foi um verdadeiro desafio, ir à casa de banho (e conseguir usá-la) foi a derradeira vitória! Quanto a músicas, "Summer of 69" e "Sunday, Bloody Sunday" são clássicos regulares. Da Weasel, Madonna, Shakira e outros é que não costumam fazer parte da selecção musical! Gostei muito de ouvir a Duffy pedir misericórdia e muito bem, que todos precisávamos, dadas as circunstâncias!


Apesar de tudo, foi divertido. E percebi uma vez mais qual a razão por que não saio mais vezes: não há paciência! Agora, caros amigos, só daqui por uns 2 mesitos, que tenho que voltar a insuflar o meu balão da pachorra até ao ponto de se tornar suportável uma próxima saída, ok?

Entretanto, hear and enjoy!


quinta-feira, 15 de maio de 2008

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Não é mais que isto...


"The most important kind of freedom is to be what you really are. You trade in your reality for a role. You give up your ability to feel, and in exchange, put on a mask".




James Douglas Morrison

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Jogos de Azar


Não há nada como uma paixão para tornar os dias mais emocionantes: desde noites em claro a uma perda de apetite, até às familiares borboletas na barriga, tudo nos assalta e avassala o coração. Inesperadamente o mundo é mais simpático e o que noutras alturas nos faz raiar os olhos de sangue, subitamente é tolerado com uma descontração que nos surpreende. Mas esse é também o mais frágil dos momentos. Ainda não há uma história e o futuro vive apenas na nossa cabeça. E é nesta incerteza que muitos embarcam nos jogos de azar.

Desde a minha primeira paixão, já lá vão 13 anos, sempre pautei as minhas acções pela honestidade. Inevitavelmente, no decorrer destes anos, falhei, errei, fui injusta e incorrecta com algumas pessoas. Mas nunca as manipulei. E aquilo a que assisto frequentemente é a elevação de uma forma de manipulação, a que vulgarmente se chama "joguinhos". Quem nunca, arrebatado por alguém, ouviu outro dizer "Não lhe ligues. Vais ver que em menos de nada está caidínho por ti!". Esta coisa do "dá e tira" na esperança de prender o outro, pode até trazer resultados. Aos 18 anos, face à inexperiência que se tem, acredito até que seja um recurso. Aos 28 é descabido! Quando preferimos* alguém, sabemos o que queremos. Sabemos a medida exacta do quanto queremos a outra pessoa. Conhecemos os caminhos que queremos percorrer e não pode por isso, haver espaço para a manipulação. De nada vale fingir que não estamos nem aí. Afinal até estamos! Se ele não esteve bem, se falhou, não posso ignorar essa falha. Se pelo contrário, se mostrou atencioso, não vou fingir que me dá igual, quando não dá!

Não digo que devamos revelar de imediato o que nos vai na alma, reagir desenfreadamente a cada palavra ou gesto. Não, o jogo acontece precisamente no momento em que nada está definido e portanto, tudo é possível. O jogo é a frase que se lança e que é muito mais do que o que é dito. É o olhar simultâneamente despudurado e timído. É o cruzar de mãos para que não se percam, quando nunca se perderiam... Jogar é arriscar na incerteza.

Este post, e a maioria dos seus comentários, reflecte bem o tipo de jogos que infelizmente se fazem por aí. Pela minha parte, não é a ausência que me prende, antes pelo contrário. Não é a ansiedade a que me submetem que me excita. Gostar de alguém é um estado de alma do qual não depende a angústia que me provocam.

A mais das vezes, dos jogos surgem mal entendidos. Enquanto um vai para a esquerda, outro segue pela direita e vão-se encontrando nas encruzilhadas...

Mais do que jogos de amor, estes são jogos de azar...


* Expressão magníficamente empregue aqui.

domingo, 20 de abril de 2008

Quando foi?

“When you're young, your whole life is about the pursuit of fun. Then, you grow up and learn to be cautious. You could break a bone or a heart. You look before you leap and sometimes you don't leap at all because there's not always someone there to catch you. And in life, there's no safety net. When did it stop being fun and start being scary?”

Sex and the City

segunda-feira, 14 de abril de 2008

14 de Abril de 2008

E a família cresceu!



Amor, saúde, vitalidade, alegria, emoção, bom senso e uma vida longa e feliz!

Adoro-te meu bebé lindo!

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Mais um ano com muito swing!

Já tivemos alturas em que as Good Vibes estacionaram por cá. Nem tudo ia bem, é certo, mas o alto astral estava lá. E isso é que era importante! As risotas constantes, o estacionamento garantido, as cuecas molhadas a bailarem no vento do secador... Entretanto muita coisa mudou. Umas coisitas para melhor, outras nem por isso mas a vida é mesmo assim! Na verdade, o essencial mantém-se. Na falta de um passeio sentamo-nos no degrau e cantamos. E mesmo sem lugar à porta, lá vamos encontrando o nosso caminho!

Nunca nada fica como está e muitas coisas não são como deveriam ser. Outras ainda, espero que não mudem nunca!


Parabéns Chica!!!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

terça-feira, 25 de março de 2008

Meia em baixo

Primeiro escorregou-me a meia esquerda. Depois a direita. Passeei-me por Lisboa de pernas ao léu com 12 graus!
Depois desta, aguento tudo!

sexta-feira, 21 de março de 2008

Dia Mundial da Poesia

Todas as cartas de amor são ridículas

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas,

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas).


Álvaro de Campos

quinta-feira, 20 de março de 2008

My Heart


My heart my head my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am to you My heart my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am When you're gonna pick up the phone and call me Tell me I can come over I got my ticket and my bags are packed My coat is hangin' over my shoulder Time is passing and it's getting late This heart of mine just can't wait And after all that we've been through I maybe get there and I'll give it to you baby My heart my head my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am to you My heart my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am Standing by the window and lookin' out My heart is turning I want to shout You're complicated I don't want to complain The way you're acting can you explain Why all this love is wasted on you Can I live with all that is you You say you love me silence I can't hear All I want is to be near you baby My heart my head my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am to you My heart my mind my soul My feelings over you My tears my touch remember all that I am I'm looking for a reason to stay true Looking for our love Looking at me and looking at you And even if I could turn away and then I see that I'm falling in love again Some times I wanna give you up Some times I want to leave you alone Some times I want to run away And some times I want you to come back home Come home to me yeah yeah baby I know I know you'll be good for me Come home come home Yeah baby I'm right here baby Come home to me Yes I'm right here baby Yeah all I am to you I know you feel me baby Yeah yeah Come on come on Home to me

quarta-feira, 19 de março de 2008

Os meus amigos


Os meus amigos consideram-me uma pessoa reprimida. Acham que vivo em luta comigo própria tentando esconder quem sou. Os meus amigos sabem e eu confesso que a exposição me assusta, me atormenta. Detesto ficar sujeita ao julgamento dos outros e por isso é-me muito mais fácil assumir uma conduta "low profile", em que não sou nem boa nem má. Embora goste de me posicionar nesta zona de conforto, muitas vezes já fui a extremos. E não gosto. Não gosto porque posso ser injusta, pouco cautelosa e até ridícula! Os meus amigos sabem e têm razão: eu não gosto de chamar a atenção. O que os meus amigos não sabem é que o facto de me controlar sabe-me bem. Não sabem, que aquilo que sinto quando não cedo ao que todos cedem, é bom! Os meus amigos dizem que o faço apenas em função dos outros. Eu digo que o faço em função de mim. Os meus amigos não sabem ver que as grandes emoções não são para mim. Bastam-me aquelas às quais não consigo fugir. O que os meus amigos entendem por emoções eu entendo por perigos e colocar-me em risco não me excita. Os meus amigos não percebem que quando controlamos muito poucas coisas nas nossas vidas, o facto de as comandarmos de vez em quando é inspirador! Os meus amigos não sabem que simplesmente não desejo fazer as coisas que eles gostam. E que isto não é repressão. Os meus amigos não sabem que é não é defeito, é feitio. Os meus amigos não sabem que desejo cada vez mais um quarto branco com vista para o mar e o som das ondas ao fundo. Eu sei que é isto que me faz sentir viva, resguardada, calma, segura. O que os meus amigos não sabem, é que não tenho motivo para me reprimir agindo contra mim e em favor do que acreditam. Ainda assim, eu gosto muito dos meus amigos!