sábado, 27 de julho de 2013

Este blogue esta moribundo

Ha mais de um mes que eu nao vinha ca ver o que se passava. Na verdade, vou passando por aqui mas sobretudo para ler o que por ai se tem escrito (consultar o blogroll).

Este blogue, nascido e criado em Portugal, sofreu o primeiro golpe ainda nesses tempos, depois de eu ter considerado ter sido extrapolada a minha vida pessoal para o meio laboral por intermedio da minha ex-chefe (e ex-amiga). Passado um longo periodo em que mative o blogue apenas a leitores convidados, decidi abrir as portas do tasco novamente. A verdade e que nunca mais foi o mesmo. A escrita foi sendo cada vez mais espacada, e pior que isso, frequentemente "controlada": nao tenho qualquer desejo que certas pessoas saibam o que e feito de mim e da minha vida.

Ainda assim, este blogue nasceu numa fase da minha vida em que fazia todo o sentido existir. Apesar de alguns tristes episodios, deu-me tambem varias alegrias, sendo que o prazer de escrever (que me acompanha desde miuda) e a maior delas. No entanto, por agora, nao faz sentido continuar a arrastar este blogue em modo zombie, dai que ele ficara por aqui. Desengane-se quem achar que me zanguei com a blogosfera! Criei outro blogue ha pouco mais de dois meses, o qual espero, representar melhor esta fase da minha vida. Por outro lado, ha uma serie de blogues que sigo e que pretendo continuar a seguir. Sao, frequentemente, uma fonte de inspiracao e energia e lendo-os (sobretudo aqueles que, como eu, se encontram a viver no UK), faz-me ter a certeza de que nao estou sozinha neste desafio que e viver longe demais daqueles que amo.

Por fim, poderia definitivamente eliminar esta pagina mas... ja disse que tenho um problema de apego? Pois, nao consigo faze-lo. Pelo menos nao agora. Daqui por uns tempos, quem sabe.

Quem quiser saber qual o meu novo poiso, pode enviar email para abonecarussa@gmail.com. Quem nao quiser, esta-se bem na mesma :)

Por fim, resta-me dizer que foi bom dar vida a matryoshka que ha em mim!


Imagem de Jennifer Davis

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Rodrigo

Eu nao conhecia o Rodrigo. Nem a mae do Rodrigo, nem nenhuma das bloggers envolvidas no Todos por Um. Eu nunca participei em nenhum dos eventos. Eu nao tenho filhos, tenho um sobrinho de sangue e varios outros emprestados. Mas mesmo que os nao tivesse, seria impossivel ter ficado alheia a historia do Rodrigo. Porque as criancas nao devem nunca ter de passar pelas provacoes que o Rodrigo passou e nenhum pai ou mae deveriam ter de viver a dor de perder um filho. E quem diz pai e mae, diz avos, tios, primos e irmaos. A dor sera para todos dilacerante. Por isso, foi com muita tristeza que li ontem a noticia da partida do Rodrigo, por ele e por todas as criancas que a vida leva, injustamente, cedo demais. Nao precisamos de nos rever na dor de uma doenca tao devastadora (por intermedio de amigos, familiares ou em causa propria) para olharmos para o pequeno Rodrigo. E para Joana, e para o Andre e para o Carlos. Resta-me esperar que o Todos por Um, ou qualquer outra iniciativa semelhante, continue e cresca. Porque todos os esforcos para salvar uma crianca nunca serao pequenos demais. Ate sempre, Rodrigo!

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Há coisas fantásticas, não há?

E quando achamos que a realidade não consegue imitar a ficção, eis que a supera. Aqui


Questões éticas à parte, é sem dúvida, uma descoberta fascinante!


P.S. Nota-se que andei 'a cata de acentos, certo?

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Sobre a bola

O Chelsea e o meu clube vizinho. Os sportinguistas foram permanentemente massacrados pelos benfiquistas numa epoca em que, literalmente, nao contaram para o campeonato. Posto isto, podia lamentar. Mas nao lamento.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Food Revolution Day

Sempre apreciei moderadamente o acto de cozinhar. Gostava, mas nao adorava e de facto, durante o ultimo ano que vivi em Portugal (e que vivi sozinha), cozinhei menos do que gostaria. Mas ia-me entretendo, aprendendo ocasionalmente novas receitas e dicas e melhorando outras tantas. Com a vinda para Londres, tudo mudou. Cozinhar tornou-se imperativo! Ao contrario de Portugal, nao encontramos a cada esquina um cafe ou restaurante onde possamos comer comida caseira a precos aceitaveis. Lembro-me de gastar a volta €5 ou €6 por almoco. Em Londres, os almocos fazem-se de refeicoes rapidas, frequentemente desiquilibradas nutricionalmente e que para um estomago portugues estao longe de ser as ideais. E se e verdade que em Londres tambem conseguimos "almocar", verdade seja dita que nem sempre me apetece fazer turismo gastronomico (o mais normal por ca), ja para nao falar nos precos, que aniquilariam o meu ordenado em tres tempos... Assim sendo, cozinhar deixou de ser uma opcao e com ela, o meu gosto pela cozinha cresceu, talvez na ansia de replicar comida caseira e os sabores que me sao mais familiares. Dito isto, cozinhar faz parte da minha vida mas o mesmo nao e verdade para uma grande parte da populacao londrina e inglesa. E quem fala de Inglaterra fala de muitos outros paises. De facto, Portugal (ainda) e um pequeno paraiso, tambem nestas questoes. Temos uma gastronomia do mais variada que ha e da qual usufruimos com todo o prazer, e talvez por isso, cedendo menos aos caprichos economicos que nos impoem.

Toda esta ladainha para dizer, que em alguns paises tornou-se essencial educar as populacoes no que toca a cozinha e alimentacao e se ha alguem que tem feito enumeros esforcos e reunido condicoes para tal, e Jamie Oliver. Ha muito que gosto dele. Gosto do que cozinha, gosto como cozinha e gosto sobretudo que nao se limite a ensinar a fazer o prato X ou Y. Ensina-nos dicas, formas mais rapidas e eficazes de de fazer isto ou aquilo e para alem disso tem sido tambem "O" patrono da boa alimentacao.  Esta Ted Talk e disso exemplo. Mais recentemente criou o Food Revolution Day que pretende mobilizar pessoas de todo o mundo, mostrando que cozinhar e nao so mais divertido, como mais saudavel. Existem centenas de eventos por todo o mundo e qualquer pessoa pode criar o seu proprio evento, seja em casa, no trabalho ou para a comunidade onde vive. Toda a informacao sobre como participar pode ser encontrada no site que deixo mais abaixo. Pela minha parte, dado ser um dia de semana, nao me deixa grande margem mas ainda assim tentarei participar. Num pais e numa sociedade cada vez mais obesa e com problemas de saude que derivam de uma alimentacao altamente desiquilibrada, nunca e demais lembrar que cozinhar pode ser divertido e comer comidinha da boa e melhor ainda!





Food Revolution Day
17 de Maio


sábado, 4 de maio de 2013

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Verao, aqui vou eu!

Mal posso esperar por uns dias de Verao em Portugal. Verao a seria, com calor a seria, praia, areia nos pes, sol na tromba e no corpinho, mar, cheiro a protector e bronzeador, esplanadas, sardinhas e caracois. E finalmente, apos longos meses de "discussao", chegamos a acordo quanto as datas. As passagens estao marcadas e dada a pouca antecedencia, ate nao foram assim tao caras. Verao portugues, me aguarde!

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cravos


Nunca precisamos tanto deles como hoje. Para sempre 25 de Abril!

%*(£$%^&&*"!

Estamos em Abril e o Inverno este ano prolongou-se bastante para la do razoavel. So ha alguns dias as temperaturas ficaram mais amenas e o sol deu o ar da sua graca. Ainda assim, convenhamos, estamos em Londres, nao em Lisboa. Quero com isto dizer, que depois de finalmente poder deixar em casa os camisoloes e casacoes, chego ao trabalho e tenho de andar de casaco na mesma ja que a fauna local considera que 14 graus e uma temperatura elevada e toca a abrir janelas como se nao houvesse amanha! E enquanto eles se espantam comigo pelo facto de me agasalhar quando me sento literalmente numa corrente de ar, eu tenho vontade de lhes dizer que isto nao e calor, isto e so menos frio. Ja estou como a outra: Ai meu rico Portugal...!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

House of Cards

De tempos a tempos, aparece por ai uma serie que me prende a seria! A ultima e House of Cards, onde podemos contar com o extraordinario Kevin Spacey. Parece que os direitos da serie foram adquiridos pelo Netflix, o que pode ser uma grande jogada de marketing mas tambem uma grande chatice para quem nao subscreve o servico. Seja como for, ha sempre alternativas para poder ver a serie...

Em relacao a trama, confesso que alguns pormenores me escapam, ja que se referem ao sistema politico americano do qual nao estou completamente inteirada. Ainda assim, a intriga e os jogos politicos na Casa Branca (mas que acredito, se estendem aos sistemas politicos ocidentais) sao brilhantemente representados por Kevin Spacey, que ha muito considero um dos melhores actores da actualidade. Nao sei se ira ser exibida ou quando sera em exibida em Portugal. Em qualquer dos casos, vale bem a pena seguir!


terça-feira, 9 de abril de 2013

Siga o proximo!

Depois de ter terminado este livro (que adorei), ter visto o filme que lhe sucedeu (previsivelmente bastante mais pobre do que o livro, embora seja um bom filme), estou pronta para continuar a saga. Segundo reviews na Amazon, o segundo volume surpreende pelo facto de superar o primeiro. Espero que sim. As minhas viagens entre casa e o trabalho precisam de emocao para alem dos atrasos e apertoes no metro.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Upppssss

He did it again! Desta vez olhei para ele e perguntei-lhe se achava novamente que eu era a gata. Disfarcou, pos um ar serio e disse-me que era obvio que nao. Estava apenas a dar-me umas festinhas.

Pois claro...

terça-feira, 19 de março de 2013

segunda-feira, 18 de março de 2013

Men that hate women with a dragon tattoo

Raramente vou em modas literarias. Li, como quase toda a gente, O codigo Da Vinci e ja li varios livros de Paulo Coelho. Mas tirando um ou outro exemplo, raramente me deixo contagiar pela moda, pelo menos enquanto a febre esta no seu auge. Uma trilogia que sempre me pareceu um tanto diferente, e a trilogia Millennium. Falou-se muito sobre a qualidade dos livros, sobre a narrativa, escrita de forma brilhante, e falou-se da historia em si. Depois veio o filme. Talvez por, mentalmente, sempre ter enquadrado estes livros no genero "Policial", nunca lhes prestei muita atencao. Em boa verdade, nao sei de onde me veio esta idea pre-concebida de que se tratava de um policial. E uma historia que se debruca sobre uma crime, sim. E e uma historia envolta em misterio, sim. Mas dai a ser um policial, ainda vai um largo salto. Mas nestas coisas, ja se sabe como e. A editora, na tentativa de "pescar" mais clientela, adultera frequentemente o real sentido do livro (digo-o eu que trabalhei em edicao de livros numa das maiores casas editoriais portuguesas).

No entanto, recentemente, vinda nem eu sei de onde, fui ganhando alguma curiosidade sobre os livros. Ate que resolvi comprar o primeiro (e tambem o meu primeiro kindle book). A traducao do original para ingles resultou no titulo, The Girl With The Dragon Tattoo. Ja o titulo em portugues manteve-se fiel ao titulo sueco: Os Homens Que Odeiam As Mulheres. Independentemente da lingua pela qual se opte ler, a verdade e que estou absolutamente fascinada com o livro! E daqueles que facilmente nos agarram, em que ate dou por mim ansiosa pela (estupidificante) viagem de ida e volta do trabalho, pois e uma das alturas em que mais leio. Apesar de estar super curiosa para ver o filme, nao vou faze-lo ate acabar o livro, ate porque ja estou com vontade de tapar os olhos so por ver o personagem principal na figura do Daniel Craig. Seja como for, para quem como eu prefere nao-ficcao, este e um livro quase surpreendente pela sua capacidade de me deixar curiosa e ate ansiosa para prosseguir a leitura. Em suma: Altamente recomendado!




sexta-feira, 15 de março de 2013

Vivo com um sonambulo

Ele ja teve varios ataques de sonambolismo. Nada de preocupante, ao estilo "Efeitos Secundarios" mas que os tem, tem. Esta noite acordei com ele a dizer:

Chloe... (vozinha fofa). Chloe*... (Sons fofinhos como quem esta a chamar um animal).

A conversa desperta-me e eu penso: 

A gata entrou dentro do quarto?

Nao contente, inclina-se sobre o meu corpo e comeca a afagar-me como se eu propria fosse o animal. Olho para ele:

Que estas a fazer???

Ele cala-se, olha para mim com ar espantado e pede desculpa. 

E ele continua a insistir que nao e sonambolo e que na verdade estava semi-acordado... 


*Chloe e a nossa gata que dorme na sala todas as noites.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Sobre as manifestacoes

Acho imensa piada aquelas pessoas que acham que exercerem o seu direito civico de se manifestarem nao leva a nada (e consequentemente nao exercem uma cidadania participativa), mas passam uma grande parte do seu tempo a resmungar sobre os politicos e as politicas do governo no cafe do Sr. Ferreira. O efeito e seguramente melhor. 

sábado, 2 de março de 2013

Junto-lhe a minha voz

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade


Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena


Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade


Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena


À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade


Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

2 anos

Foi há 2 anos que cheguei a Londres. Olhando para trás, acho que tive uma coragem que mal reconheço em mim. Foram dois anos difíceis, cheios de tropeços. Na verdade, a sensação foi a de dar murros em ponta de faca. Uma luta permanente que me encheu de desânimo vezes sem conta. Devagar, bem devagar mesmo, as coisas estão a melhorar. Há apenas 1 ano, tudo era ainda bem diferente e mais difícil. São baby steps que espero ver crescer e a dar ainda mais frutos brevemente. Não me arrependo de ter vindo, nem tão pouco do caminho que fiz, mas não passa um dia em que não me aperte o coração ao pensar no meu país. Está-me colado à pele e à alma e poderão passar muitos e muitos anos mas este aperto jamais passará.
 
E agora, em jeito de celebração, que o melhor dos últimos 2 anos, seja o pior dos próximos 2! Tchim, tchim!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Filha da mae!


Os ingleses sao frequentemente vistos como flexiveis, praticos, e ajustando-se com facilidade a novas situacoes e desafios. Pode ate ser verdade, contando que esse desafio nao seja o formato do nome de uma pessoa. Ora, em Portugal, na decada em que nasci (e na subsequente tambem), o mais comum era brindar-se toda e qualquer crianca com 4 nomes: 2 nomes proprios e dois apelidos (1 dado pela mae e 1 pelo pai). Nos ultimos anos, os novos rebentos passaram (na grande maioria) a ter apenas 3 nomes a constar no CC: 1 nome proprio e 2 apelidos. Em minha opiniao, esta foi uma alteracao vantajosa. Com algumas excepcoes, o uso dos meus dois nomes proprios serviu apenas para os ralhetes dados pelos meus pais. Ouvir os dois nomes em conjunto era, com toda a certeza, sinal de que tinha feito asneira.

Sendo, porventura, estas as formas mais comuns de nomes completos, a verdade e que em Portugal  somos bastante flexiveis. Se por um lado nao ha ca aquela coisa de criar um nome que resulte da combinacao dos nomes dos progenitores (excepcao feita a Lucy), por outro, conheco varias pessoas com mais do que 4 nomes. Algumas tem 5 e outras 6 ou mais. E e aqui que a inflexibilidade inglesa entra. Eles simplesmente nao entendem o conceito de se ter mais do que um apelido. Por esta banda, frequentemente associada a uma emancipacao feminina mais antiga, se comparada com o nosso pais, o que acontece e que o apelido da mae nao faz parte do nome da crianca que acabou parir. E unicamente ao lado masculino que se da continuidade. Nao fosse isto ja a arrastar para o chauvinismo, em Inglaterra, as pessoas nao percebem o conceito de que ha mais formas de se construir nomes no mundo. Deram-nos a Revolucao Industrial mas mantemos (orgulhosamente) a estrutura de nomes que bem nos aprouver!

Tudo isto para mostrar a enorme dificuldade que tenho em fazer com que percebam que a construcao do meu nome: tenho dois nomes proprios mas gosto de ser chamada pelo segundo e este segundo nome continua a ser o meu nome proprio (em Inglaterra o segundo nome e apenas e so o middle name). E mais: eu tenho dois apelidos, 1 por cada um dos progenitores! E caso para dizer que sou, orgulhosamente, filha da mae!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Confissoes #29

Sinto muito menos frio do que nos invernos anteriores. A minha (moderada) camada adiposa esta finalmente a adaptar-se.

Ano novo, casa nova

Alugar casa em Londres deve ser quase tao complicado como comprar casa no resto do mundo. Ou talvez nao, mas o processo pelo qual o "candidato" ao apartamento/ casa tem de passar e lento, exaustivo e intrusivo. Em Londres nao basta uma pessoa gostar de uma casa para aluga-la. A "concorrencia" e feroz, havendo mais pessoas a procura de casa do que casas propriamente ditas. Ora, quando a procura e muita, os senhorios tem tendencia a ser mais exigentes e vai dai que o inquilino seja sujeito a um escrutinio ao qual eu nunca tinha assistido.

Ainda em Portugal, aluguei casa a meias com uma amiga, onde vivemos durante 1 ano. A coisa foi mais assim: procura de casa, contacto com a agencia e senhorio, fazem umas perguntas sobre onde trabalhamos o que fazemos, na assinatura do contrato pedem a assinatura de um fiador, combinam-se os detalhes de pagamento da renda (incluindo caucao) e esta feito.

Em Londres, ha todo um processo em que os potenciais arrendatarios submetem a uma terceira entidade que actua em nome da agencia (que por sua vez actua em nome do senhorio), 3 referencias: o actual senhorio/a, a empresa na qual trabalhamos (nao faco ideia como sera para quem trabalha por conta propria) e uma pessoal. No caso de haver discordia, ate acredito que o senhorio ou a entidade patronal nao digam apenas maravilhas do candidato. Mas uma referencia pessoal, entenda-se amigo ou familiar, em principio nao ira dar mas referencias. Mas as referencias nao chegam e aquilo que me irrita mesmo, mesmo, e o facto de termos de disponibilizar os dados da nossa conta bancaria para que nos "analisem" a capacidade financeira para pagar a renda. Estivesse eu a comprar casa, e ate percebia. A arrendar nao percebo. E embora tenha de jogar as regras que me sao impostas, detesto e discordo completamente com esta pratica. Onde e como eu gasto o meu dinheiro e unicamente da minha conta. E se falhar? Nesse caso ha quebra de contrato e sou posta na rua! 

Enfim, processos a parte, quando a resposta finalmente vem, celebra-se como quem compra! A nossa candidatura foi aceite e dia 26 deste mes la rumo eu a sul e ele... bem, ele ruma umas ruas para o lado. Esperar ate la e que vai ser mais dificil. Ja entrei no lazy mode no apartamento onde estou actualmente e os cuidados que habitualmente tenho com o meu quarto estao francamente reduzidos.

O que me espera? Um apartamento pequenino, uma sala cosy, um telhado de vidro (literalmente) e um pequeno jardim. E claro, duas escovas de dentes juntas! 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Bem-vindo 2013!

E em jeito de resumo desde a minha ultima aparicao por estas bandas...

- Sai de Londres para ir jantar ao Porto:
- O mundo nao acabou;
- Viagem a Lisboa;
- Viagem ao Algarve;
- Viagem a Bruges;
- Presentes a fartazana (nao me lembro de receber tantos presentes ha muitos anos);
- Estive com a familia (nao toda);
- Estive com alguns amigos (nao todos);
- E para breve, vou mudar de casa, em jeito de "vamos juntar as escovas de dentes".

E pronto, foi um fim de ano com algumas emocoes (boas) e preve-se um 2013 ainda mais emocionante. Parece que finalmente a engrenagem esta a andar!


Bom ano a todos!