domingo, 3 de julho de 2011

A franja

A dúvida persistia há alguns meses. O que fazer com a franja que me acompanha há vários anos? Cortá-la de novo? Deixá-la crescer? Andava um bocadinho farta de tê-la sempre igual e de estar constantemente a esforçar-me para tirá-la da frente dos olhos. Ontem, num acesso de loucura/estupidez, olho-me ao espelho e, de tesoura em punho, toca a cortá-la como se não houvesse amanhã! O problema é que o amanhã está já ao virar da esquina e o resultado não foi feliz. Saio a correr para a rua à procura do primeiro cabeleiro que me arranjasse o estrago e por £3 lá deram um "jeitinho" ao meu magnífico corte: franja a direito!

À noite, ao chegar junto de uma amiga, ela olha para mim e diz: Nelly Furtado! Lembrei-me que já me tinham dito o mesmo há tempos. Fico feliz com a comparação. Não tenho aquele bronze invejável (sobretudo este ano) e não sei cantar mas, pelo menos, sei dizer a palavra «força» de forma respeitável!


5 comentários:

Satine disse...

bela comparação.. ela é gira nas horas!

Benedita disse...

E do inesperado sai uma boa nova! Se no fim dessa aventura essa foi a comparação que recebeste... not bad! ;)
Bjs de cá

Poisoned Apple disse...

Louca. tenho de ver isso!

Silverboy disse...

Como me lembrei de ti hoje ao cortar o cabelo!
Às vezes não sei o que mete mais medo, pormo-nos a fazer experiências com a tesoura em casa ou metermo-nos nas mãos destes cabeleireiros estranhos que há nesta terra...
Se bem que no teu caso correu bem pelos vistos!
*

CC disse...

Boa ;) grande elogio :)